Próximo Ritual Aberto:

  • 00 Dias
  • 00 horas
  • 00 min
  • 00 seg
+

A experiência com a ayahuasca

Untitled-3

Aqueles  que querem conhecer o uso ritualístico da ayahuasca, geralmente, têm como principal preocupação e ansiedade a curiosidade sobre o que vai experienciar e o que verá durante o efeito da ayahuasca (que nós chamamos de força). Apesar de a experiência em si ser muito pessoal, existem certas  semelhança  no  processo.

As visões (chamadas de miração) fazem parte de uma ampla rede de conhecimentos internos que aos poucos vamos decifrando. A busca  para entender esses processos se torna  a busca  pelo conhecimento de  si mesmo, em um processo que, quando iniciado, acarretará na possibilidade de grande mudança  interior e por consequência, externa.

Antes de falar sobre esse processo, é necessário explicar que o atual contexto do uso ritualístico da ayahuasca, é bem diferente e distinto do contexto de cura dos pajés (xamãs) ou dos rituais religiosos das chamadas linhas raízes (Ciclu, Barquinha, UDV, Cefluris). Ainda que todos esses usos coexistam e sejam atuantes nos dias de hoje, nosso modo de realizar ritual se diferencia  das práticas citadas. Mas independente das diferenças, a combinação do uso da bebida com uma abordagem espiritual, facilita e beneficia a saúde mental e o crescimento espiritual das pessoas.

A experiência com a ayahuasca possibilita confrontar vários aspectos de si mesmo, o que significa também entrar em contato com dor, raiva, sofrimento, traumas e padrões de comportamento que trazem prejuízo no dia a dia. Embora esse contato não seja uma experiência agradável ou fácil de vivenciar, quando nos aprofundamos, em busca das possíveis soluções dos problemas, encontramos com a ayahuasca um caminho aberto para explorar áreas inconscientes de nós mesmo. O que nos leva à origem de nossos problemas.

A ayahuasca permite acessar memórias e áreas mais profundas de nossa identidade, dando acesso a experiências do passado que moldaram nossos padrões de comportamento que, com a consciência expandida, passam a ter outros significados.

Quando essas lembranças emergem temos a oportunidade de simbolicamente revive-las, aprendendo a se conectar com elas, sem julgamentos ou resistências. Dessa forma temos a oportunidade de explorar as origens de nossos problemas e ao mesmo tempo entender o que é necessário fazer para se libertar dos traumas psicológicos subconscientes. Nesse sentido, a ayahuasca se torna uma excelente aliada no desenvolvimento e progresso pessoal, possibilitando regressar às origens dos problemas e ajudando a liberar as emoções. Assim, adquirimos a compreensão necessária para reformular nossa identidade e padrões de comportamento.

Temos com a ayahuasca a oportunidade de experimentar nosso ser mais intimo, trazendo um ponto de vista diferente e uma nova compreensão de nós mesmo e dos nossos problemas. Por meio do entendimento e de reflexões profundas e sinceras sobre os padrões de comportamento, podemos nos reconectar com nossos sentimentos verdadeiros, tendo assim uma grande chance de transformação.

Recebemos uma orientação interna, que vem das profundezas de nosso ser e que é facilitada pela ayahuasca. Os traumas e outros problemas vivenciados em nossa vida nos fecham e nos tornam incapazes de nos conectar com nossos sentimentos e com o amor, nos tornando cegos para percebê-lo ao nosso redor e impedindo de abrir nosso coração para recebê-lo e a nos amar. Assim, entramos num ciclo onde não conseguimos entrar em contato com nossos sentimentos e passamos a buscar o amor fora de nós mesmo, em um processo frustrante de buscar e não encontrar, que por sua vez cria novos traumas ampliando ainda mais o ciclo de dor e sofrimento.

O grande diferencial da ayahuasca é a possibilidade de sentir o amor!  Aprendemos nessa experiência, a se conectar com o amor, a sentir o amor, por consequência a ser amados e viver no reino do amor. Essa descoberta é um grande passo para a cura de muitos problemas, pois quando aprendemos a nos amar e a nos aceitar, encaramos os problemas sob uma nova perspectiva. Além disso, com a consciência expandida, temos a oportunidade de descascar as várias camadas de nossas emoções, que nos fazem sentir presos e que criam barreiras que nos impedem de ver com clareza cada questão de nossos problemas. A liberação emocional promovida pela ayahuasca permite vencer esses bloqueios e ir mais fundo, sentindo as emoções até serem dissolvidas. Desta forma vamos avançando para novas camadas e para outros problemas em um processo que nos leva a profundeza de nosso ser.

Esse complexo processo nos leva a uma reavaliação total dos valores de nossa vida. Coisas que antes pareciam importantes vão pouco a pouco perdendo seu poder sobre nós. Nossos valores passam a se basear na simplicidade e passamos a ter a oportunidade de reconhecer nosso “eu superior” e descartar nosso “eu ilusório”, adquirindo assim autoconhecimento, auto exploração e integração em um nível de consciência superior. Essa consciência estabelece a aceitação, compreensão e a compaixão para conosco mesmo. Assim passamos a desenvolver um relacionamento interno, baseado no amor e aceitação, que, por estar dentro da gente, se estende aos relacionamentos com os outros e em seguida para com o mundo em que vivemos. Nesse momento nossa vida se transforma!

Quando buscamos a experiência com a ayahuasca, precisamos entender que se trata de uma busca espiritual, uma busca natural. Para que aja realização nessa busca, há a necessidade de fé em algo maior do que apenas a própria vida, assim como a confiança em uma consciência criadora de tudo que existe. A ayahuasca promove essa fé e confiança, nos possibilitando ser mais próximos a Deus sem conceitos dogmáticos. A medida que a fé vai se fortalecendo passamos a nos perceber como seres de luz, que de fato realmente somos.

A ayahuasca apresenta o caminho para o divino que esta dentro de nós mesmos, estabelecendo a conexão com Deus e possibilitando-nos a busca espiritual da verdade interior. Mas, lembramos que, apesar de apresentar o caminho, cabe a cada um de nós trilhar esse caminho, depende unicamente da vontade e persistência de cada um para que o processo de transformação realmente ocorra.